01/12/2017

4 informações que você precisa saber sobre as dietas sem glúten

Com a ideia de comer de maneira mais saudável, tem crescido o interesse dos brasileiros pelas dietas sem glúten. De acordo com os organizadores da Gluten Free Brasil, um dos principais eventos nacionais no assunto, nos últimos 15 anos houve um aumento de mais de 400% do mercado sem glúten no País. A estimativa é de que o consumo dos alimentos livres dessa proteína cresça por volta de 30% ao ano.

Glúten são frações proteicas encontradas na família das gramíneas cultivadas, como trigo, centeio, cevada e aveia (esta última por contaminação). Apesar de ser uma tendência alimentar colocada em prática por muitos brasileiros, a dieta sem glúten ainda causa muitas dúvidas e controvérsias quanto a seu benefício.

 

  1. Dietas sem glúten nem sempre levam à perda de peso.

    A restrição de alimentos que contêm glúten, como pães, pizzas e massas, ajuda a reduzir a ingestão de açúcares e gorduras saturadas, o que por si só apresenta benefícios comprovados no emagrecimento. No entanto, a perda de peso está relacionada à redução da ingestão de calorias e não à exclusão do glúten. Diversas pessoas deixam de consumir essa proteína, mas mantêm uma dieta com muitas calorias e não conseguem perder peso. Independentemente da ingestão de glúten, a alimentação equilibrada em carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais é que será determinante para o emagrecimento.

  2. Efeitos da exclusão do glúten para indivíduos que não necessitam ainda não são bem conhecidos.

    Pesquisas feitas pelas universidades de Harvard e Colúmbia, publicadas no início deste ano (2017), observaram uma associação inversa entre o consumo de glúten e o aumento do risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. Ou seja, o consumo de fontes moderadas de glúten parece não ter efeito no aumento do risco de desenvolvimento destas doenças. Os pesquisadores colocam como uma das hipóteses para isso o fato de que, ao excluírem o consumo do glúten, muitas pessoas deixam de comer farinhas integrais ricas em fibras, importantes para a redução da absorção de gorduras da alimentação, e acabam aumentando o consumo de carboidratos simples, como produtos à base de arroz, por exemplo. No entanto, ainda são necessárias mais pesquisas para avaliar os efeitos da exclusão do glúten para pacientes saudáveis.

  3. Somente um profissional habilitado pode definir a conduta de exclusão ou não do glúten da alimentação.

    A recomendação indiscriminada para restrição ao consumo de glúten não encontra, atualmente, respaldo na ciência da nutrição e está em desacordo com o Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar. A exclusão da dieta de alimentos que contêm essa proteína deve ser feita apenas por pacientes com diagnóstico de sensibilidade ao glúten; ou com doença celíaca — problema autoimune que afeta o intestino e pode causar, entre outros sintomas, dor abdominal e diarreia; ou por pessoas com dermatite herpetiforme — doença também autoimune que provoca bolhas na pele e que parece estar relacionada à ingestão do glúten. Vale lembrar que cada caso deve ser sempre estudado por um profissional capacitado, que avaliará a necessidade de o indivíduo retirar ou não algum grupo alimentar de sua dieta e se isso realmente é justificável.

  4. É possível ter uma alimentação saudável mesmo com intolerância ao glúten.

    Para pacientes com alergia ou sensibilidade ao glúten é possível aumentar o teor de fibras da alimentação através da maior ingestão de verduras, legumes e frutas. Com o reforço desses alimentos e o suporte de um profissional da nutrição, é possível obter uma alimentação equilibrada e saudável.

Desde 2016, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está obrigando os fabricantes de alimentos a informem nos rótulos de seus produtos a presença de possíveis substâncias alergênicas. Pessoas com qualquer tipo de restrição ao glúten, devem ficar atentas aos rótulos para evitar o consumo desse produto.

Saiba como ler os rótulos dos alimentos e evite também comprar produtos com alto teor calórico e de gordura.

 

Fonte: Hospital Sírio Libanês. Disponível em: <https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/sua-saude/Paginas/5-informacoes-que-voce-precisa-saber-sobre-dietas-sem-gluten.aspx> Acessado em: novembro de 2017.

Notícias

COLESTEROL

O colesterol desempenha funções essenciais em nosso organismo, como a produção de alguns hormônios, tais como vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares que ajudam na...

+ Leia mais

HPV - Riscos para o coração

As mulheres que possuem o vírus do HPV devem estar atentas aos sintomas de enfarto, já que os sinais do problema podem confundi-las.

+ Leia mais

O que é Sedentarismo/ obesidade

Considerado o mal do século, o sedentarismo é um dos fatores de risco para doenças cardiovasculares.

+ Leia mais

Controle da diabetes é importante...

Controle da diabetes é importante para reduzir os riscos cardiovasculares

+ Leia mais